Uniprime Alliance
Internet Banking
Informações

Boletim Focus diminui projeção para IPCA pela 5ª vez consecutiva

A projeção do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 2020, realizada por especialistas das 100 principais instituições financeiras do mercado brasileiro, consultados pelo Banco Central, para a realização do Boletim Focus, caiu pela quinta semana seguida. Desta vez foi de 3,47% para 3,40%.
Dessa forma, a inflação permanece abaixo da meta fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para este ano, de 4%. A meta tem uma tolerância de 1,5 ponto percentual, podendo ir de 2,5% até 5,5%. Para 2021, os economistas ouvidos pela instituição monetária central preveem um aumento dos preços na ordem de 3,75%. O IPCA é o indicador oficial da inflação no Brasil, e é divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mensalmente. Há ainda o IPCA-15, a prévia mensal do indicador.

 

PIB 

Além disso, o Banco Central (BC) diminuiu a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para 2,30%, voltando para a mesma prévia de quatro semanas atrás. Para 2021, a previsão continua em 2,50%. Os economistas mantiveram a previsão para o câmbio ao final de 2020. Segundo eles, no final deste ano, a cotação do real frente ao dólar será de R$ 4,10. 

Selic 

A nova previsão da taxa básica de juros do País (Selic) permaneceu no mesmo patamar da semana passada para 2020, de 4,25%. Há quatro semanas, no entanto, as previsões dos economistas no Boletim Focus para a taxa Selic de 2020 era um pouco maior, de 4,50%. Sobre a Selic para o fim de 2021, o BC diminuiu a previsão para 6%.

Boletim Focus 

2020 

PIB: a projeção do crescimento da economia caiu para 2,30%. 

IPCA: o mercado reduziu a projeção para 3,40%. A meta central para 2020 será de 4%, com intervalo de tolerância entre 2,5% e 5,5%. 

Taxa Selic: a previsão se manteve em 4,25%. 

Dólar: os investidores mantiveram a previsão em R$ 4,10.

Balança Comercial: a expectativa para o superávit aumentou para US$ 37,31 bilhões. Investimento estrangeiro direto: os economistas indicaram novamente US$ 80 bilhões.

2021 

PIB: a projeção do crescimento da economia foi mantida em 2,50%. 

IPCA: o mercado mantém a projeção de 3,75%. A meta central para 2020 será de 4%, com intervalo de tolerância entre 2,5% e 5,5%. 

Taxa Selic: a previsão caiu para 6,25%. 

Dólar: os investidores aumentaram a previsão para R$ 4,05. 

Balança Comercial: a expectativa para o superávit ficou em US$ 35,60 bilhões. Investimento estrangeiro direto: os economistas mantiveram em US$ 84,50 bilhões.

 

O Boletim Focus é elaborado semanalmente pelo Banco Central na base das previsões dos analistas de mais de 100 instituições financeiras.



Fonte:sunoresearch

Voltar